Quem sou eu

Minha foto
O meu inicio na meditação se deu através de um livro do monge zen budista, Thich Nath Han - Para Viver em Paz-Editora Vozes, Thich Nhat Han já foi indicado ao Premio Nobel da Paz, ele é minha grande fonte de inspiração para as praticas meditativas. Meu foco são as meditações dinâmicas que podem ser aplicadas na vida cotidiana por isso são descritos vários tipos de práticas. As práticas meditativas transformaram minha vida e hoje sou mais centrado e feliz, consegui também frear e diminuir muito meus pensamentos. Praticante há muitos anos de práticas meditativas, através da Sociedade Budista do Brasil tive contato com monges de outros países onde pude desenvolver mais a minhas práticas. Participei em 2004 de um retiro de meditação com monges do Monastério do Thich Nhat Han. Em 2013 me tornei professor de meditação. As praticas meditativas devem ser incluídas paulatinamente em nossa vida diária como estilo de vida, a Plena Atenção ensinada por Buda pode ser vivenciada em qualquer lugar ou situação.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

MOMENTO ZEN 7ª Edição

Editor Mario Nigri Iampolschi

momento.zen.mario@hotmail.com








Autor: Mario N. Iampolschi

   
Caros amigos  leitores, dia 3/9/2009 estive em uma palestra , vou fazer um resumo do que nos foi ensinado:

O irmão Antonio um monge português do monastério do monge 
Thich Nhat Han nos falou sobre sofrimento,  sobre as  Quatro Nobres Verdades:

Primeiro constatamos a existência do sofrimento,  a causa,  e o remédio para o sofrimento,  depois o caminho nos nos leva a felicidade.

Ele nos contou uma estória interessante :  uma vaca tinha falhas no couro (falta de pêlos)  e foi banhar-se no rio, os insetos do rio a picaram, então ela correu para se coçar na árvore, e os insetos da árvore a picaram.  A Vaca, por não saber que a falta de pêlo é a causa de seu sofrimento, continuará sofrendo.

A plena atenção é a nossa proteção para o sofrimento, nossos  ferimentos  foram gerados por nossos pais, comunidade, infância, etc.

Existem 2 tipos de sofrimentos: o opcional ex: o fumo, a bebida e o excesso de comida, esses dependem de nós, e o inevitável que é a doença e a morte.

Ele nos incentivou a tirarmos um tempo para nós mesmos,  e através da meditação enxergarmos a causa de nosso sofrimento.

Ele também disse que muitas pessoas vão ao retiro em Plun Vilage, meditam durante horas, mas que são sempre as mesmas, não crescem como pessoa e nem espiritualmente, você pode meditar mais de três horas por dia e isso não trazer uma transformação na sua consciência.

Devemos escolher um caminho que nos possa trazer um transformação sincera em nós, exemplo: alguém nos fala de maneira áspera, nós como budistas respiramos, observamos, e então agimos de acordo com nossa consciência, nós não reagimos ,  nós agimos conforme a situação sem termos de nos arrepender depois, porque agimos com consciência, nós ouvimos primeiro sem ficar ao mesmo tempo premeditando o que iremos responder, para podermos nos transformar temos que  ser coerentes com  o caminho  que escolhemos.

 O irmão Michael nos falou sobre o caminho para a felicidade,  O Nobre Caminho Óctuplo.

Ele disse que  as vezes alguns monges perguntam ao Mestre Thich Nhat Han se já se tornaram mestres zen, ele diz que devemos perguntar aos seus pais e irmãos como são tratados por eles, para sabermos a resposta.

Ele uma vez perguntou ao mestre porque algumas vezes ele se desentendia com o irmão e sentia raiva, o mestre respondeu que não podemos controlar como os outros falam com a gente, apenas  controlar como iremos responder  ou agir.  







  
SUMÁRIO DOS ENSINAMENTOS DO BUDA  



Fonte:  Sociedade Budista do Brasil - as Quatro Nobre Verdades  www.riobudavihara.com/ 


Pouco após a sua Iluminação, o Buda  proferiu o seu primeiro discurso definindo a estrutura básica sobre a qual se baseariam todos os seus ensinamentos seguintes as Quatro Nobres Verdades, quatro princípios fundamentais da natureza (Dhamma) que emergiram da avaliação honesta e profunda que o Buda fez da condição humana e que servem para definir toda a abrangência da prática Budista. Essas verdades não são afirmações de fé, são na verdade categorias nas quais podemos enquadrar nossa experiência de tal forma a criar condições para a Iluminação.

1ª) Dukkha: sofrimento, insatisfação, descontentamento, estresse;

2ª) A causa de dukkha: a causa dessa insatisfação é o desejo ( tanha );

3ª) A cessação de dukkha: o abandono desse desejo;

4ª) O caminho que leva à cessação de dukkha: o Nobre Caminho Óctuplo – entendimento correto, pensamento correto, linguagem correta, ação correta, modo de vida correto, esforço correto (diligência), atenção plena correta e concentração correta.

A primeira Nobre Verdade deve ser compreendida; a segunda deve ser abandonada; a terceira deve ser realizada; a quarta deve ser desenvolvida.
 .
O Buda alegava que a Iluminação que ele redescobriu está acessível a qualquer um que esteja disposto a fazer o esforço (diligência) e comprometer-se a seguir o Nobre Caminho Óctuplo até o fim. Cabe a cada um de nós colocar essa afirmação à prova.





    



A  PRÁTICA      
 
 
Fonte: http://interserblog.blogspot.com/  texto: Thich Nhat Han


Ao praticar a Primeira Nobre Verdade, reconhecemos nosso sofrimento e o chamamos pelo seu nome correto–depressão, ansiedade, medo ou insegurança.  A seguir, olhamos de frente para ele, para descobrir em que se baseia,  e isso representa a prática da Segunda Nobre Verdade.  Essas duas práticas contêm os primeiros dois elementos do Nobre Caminho Óctuplo, ou seja, a Compreensão Correta e o Pensamento Correto.

Todos nós temos uma tendência a fugir do sofrimento, mas quando começamos a praticar o Nobre Caminho Óctuplo criamos coragem para passar a encarar o sofrimento de forma diferente. 



Utilizamos a Atenção Plena Correta e a Concentração Correta para observar o sofrimento de frente, com coragem.




Agora chegamos ao ponto onde queremos fazer alguma coisa para diminuir o nosso sofrimento.






 Fazemos isso praticando a Fala Correta, a Ação Correta e o Meio de Vida Correto, sempre lembrando que a Fala Correta significa ouvir com atenção. Para isso nos guiamos pelos Treinamentos da Atenção Plena. 


Ao praticar os treinamentos da Atenção Plena entenderemos que devemos falar, agir e trabalhar sempre com a Atenção Plena Correta. 

A Atenção Plena Correta nos avisa quando algo está em desacordo com a Fala Correta ou com a Ação Correta. Quando praticamos  a Atenção Plena Correta e o Esforço Correto, o resultado é a Concentração Correta, o que fará emergir a compreensão ou, em outras palavras, a Compreensão Correta. 


Na verdade não é possível praticar uma única etapa do Nobre Caminho Óctuplo sem praticar todos os outros sete. Essa é a natureza interdependente de tudo, que também se manifesta nos ensinamentos deixados por Buda.


Bruno J. Gimenes - sintonia@luzdaserra.com.br (tema esotérico)

Por que ficamos doentes?


Todos nós somos seres animados, temos magnetismo, alma, carisma. , uma energia primordial que habita nossos corpos, nos confere vitalidade, movimento, força, ação. Essa energia já foi ao longo da história e de acordo com os diferentes povos, denominada de vários nomes. Para facilitar, aqui, vamos chamar apenas de força de vida."

Podemos chamar assim porque esse sopro de vida é a força da existência que nos ilumina, nos ativa e faz com que todos os 
nosso movimentos, sistemas e possibilidades aconteçam.

Um equipamento elétrico só funciona se ligado na tomada. Um ser vivo só pode assim ser considerado se estiver recebendo essa força 
de vida. Nós, seres humanos, estamos sempre procurando formas de definir Deus, pois bem, essa é mais uma definição: Deus é a força que nos dá vida.

Captamos esse fluxo a todo instante, abundantemente. Você não precisa acionar um botão ou abrir uma torneira para que essa energia 
lhe abasteça, basta você existir que ela fluirá.

É um tipo de energia sutil, invisível, emanada pelo universo em freqüências muito elevadas. Quando essa força se aproxima da Terra e 
mais precisamente dos homens, ela se torna um pouco mais densa a fim de encontrar maior compatibilidade com nossas frequências.  Ela se ajusta na sintonia perfeita para alimentar de vida nossos corpos e mentes. O espírito é quem a recebe diretamente. Ele consegue absorver constantemente esse fluxo. Todo espírito possui uma aura, assim como toda lâmpada acesa oferece uma luminosidade que abrange determinada área.

Essa aura é responsável por alimentar o corpo físico, mental e emocional com vitalidade, formando um verdadeiro campo de força, 
sempre abastecido por essa energia primordial. Esse fluído da vida dança livremente por nosso campo energético, abastece os chacras e os nadis e, por conseqoência, energiza todas as funções orgânicas do corpo físico. Dessa forma, a vida acontece, organiza e mantém a fisiologia de nossos corpos.

Vamos imaginar que o corpo físico de uma pessoa é um motor e a força vital é o seu combustível. Todo motor necessita do combustível 
ideal baseado na sua especificação. A exemplo: um motor a álcool não pode usar óleo diesel, porque se assim for, vários problemas surgiram decorrentes da não compatibilidade desse combustível com a mecânica do motor, não é mesmo? O motor a álcool foi projetado para usar álcool, logo esse será sua fonte de energia, de movimento, de trabalho. Essa especificação deve ser respeitada. E quanto a nós seres vivos? Que tipo de combustível nos alimenta, nos dá força e movimento?

É exatamente essa força de vida a qual estamos falando. Uma energia não física, abundante em nossa atmosfera planetária.


Contudo, existem vários agentes capazes de modificar demasiadamente seu padrão. Os principais são: nossos pensamentos e sentimentos! Sim, eles têm a capacidade de qualificar ou desqualificar esse fluído, e o mal maior da humanidade é que nossos equívocos conscienciais, nossas emoções densas, desejos primitivos e materialismo têm moldado em nós mesmos um campo de energia que retém a passagem desse fluxo. Em outras palavras, nossas emoções e pensamentos confusos estão barrando a absorção da força de vida, essencial aos nossos corpos.


Por que ficamos doentes?
Porque essencialmente geramos pensamentos e emoções que densificam a nossa aura corpórea, impedindo que a energia vital nos 
abasteça. E somos nós que causamos a doença, somos sempre os criadores. Somos nós que modificamos o nosso combustível! E o motivo pelo qual a dor e doença são sinais que avisam uma conduta mental emocional desequilibrada é pelo simples fato de que os sentimentos e emoções densas são os bloqueadores dessa força de vida. Se estamos ficando doentes é porque bloqueamos energia vital, logo estamos pensando e sentindo vibrações densas.

A lição que uma doença traz é sempre a mesma, os recados são sempre iguais: mude os pensamentos, mude as emoções! Da mesma 
forma que os pensamentos e emoções desqualificados formam energias corpóreas densas que travam a passagem da força de vida através de nossos corpos, os pensamentos e emoções elevados têm a capacidade de limpar e sutilizar essas energias, proporcionando livre trânsito da força de vida através de nós. Daí a importância da oração, da meditação, do equilíbrio emocional, do controle mental.

Tudo que pudermos fazer, de forma natural, para encontrar esse equilíbrio, será benéfico curativo e reparador a nossa existência.

Nosso maior desafio nessa vida é esse controle, esse equilíbrio. Mais uma comprovação que a verdadeira evolução espiritual acontece 
quando aprendemos a equilibrar nossos pensamentos e emoções. Também a constatação que evolução espiritual faz bem a saúde, pois quando nos elevamos, nossos corpos ficam mais saudáveis.

E essa talvez seja uma das explicações mais razoáveis que mostram que a dor e a doença ainda são tão importantes para a 
evolução humana, porque é o sofrimento que tem levado o homem a refletir sobre seus valores e seus papéis.

No nosso corpo, essa comunicação que ocorre para nosso consciente através da dor é codificado de acordo com o tipo de doença ou 
sintoma. De forma geral, toda dor ou doença mostra necessidade de mudança. No entanto, a localização, o tipo de doença tem uma linguagem precisa, muitas vezes direta. Hoje em dia, existem inúmeras literaturas que apresentam estudos aprofundados a respeito da linguagem do corpo e sua comunicação direta, que relaciona o tipo de aprendizado ao tipo de doença e localização específica. Por exemplo: se a dor é no dedo médio direito há um ensinamento específico, se é no ouvido esquerdo também há e assim por diante.

Podemos concluir que qualquer atividade ou ação realizada no sentido de mudar o sentimento ou emoção, que a mensagem intrínseca 
à doença traz, surtirá efeito de cura e bem estar. Essa visão mostra a importância de cultivarmos um estilo de vida voltado para o equilíbrio e a paz interior. Vai além quando demonstra claramente a importância da abordagem holística para tratamento de doenças  em geral,e que, principalmente, o corpo é apenas o sinalizador que manifesta que algo vai errado. Logo a cura deve ultrapassar a barreira do físico, chegando ao não-físico.

Os remédios e as cirurgias da medicina ocidental são realmente importantes e salvam vidas, mas não têm a capacidade de tocar na 
alma, onde reside a cura profunda, completa. Precisamos de uma vez por todas compreender que o ser humano avançará muito no que tange a sua qualidade de vida, quando aprender a unir medicinas, jamais provocar movimentos que criem competição entre elas, porque são igualmente importantes. Acima de tudo, o homem nunca poderá ser negligente com a sua própria existência, acreditando ilusoriamente, que uma dor, doença ou acontecimento negativo em sua vida seja mera obra do acaso. Enquanto necessitarmos da pedagogia da dor e do sofrimento para nosso aprendizado, precisaremos ficar de olhos bem abertos para qualquer tipo de ocorrência em nossas vidas. Dessa forma, nos tornaremos bons alunos e aumentaremos muito as nossas chances de ter saúde integral, em todos os aspectos, físico, mental, emocional e espiritual".







Mario N. Iampolschi


VAMOS REFLETIR  

Podemos examinar os chacras através de um pêndulo, que quando colocado na região do chacra gira em sentido horário se a energia estiver fluindo bem , e anti-horário se estiver bloqueada, na cidade de Araxá meu pai foi consultado por um médico alopata que usava o pêndulo para fazer seu diagnóstico. 
  
A Energia Reick  é um exemplo de cura, foi descoberta pelo monge japonês Mikao Usui em antigas escrituras budistas, baseada em uma série de símbolos que acionados ativam e captam a energia universal.  


O Reick já é hoje aplicado em hospitais, a cura não é feita pelo aplicador, ele é só um canal de transferência da energia vital  para o paciente . 

Quando estive em uma palestra sobre radiestesia, o palestrante disse que a doença surge do fechamento dos chacras, onde a energia vital não consegue entrar, se conseguirmos desbloquear esses chacras então nos curamos.

A meditação e as boas emoções são ótimos remédios.       


HORA DA PRATICA     

  

Na edição passada vimos que o prazer é um portal para estarmos mais atentos no momento presente.

Eu proponho  esta semana um outro portal, a desaceleração do corpo e da mente, como  já vimos a desaceleração aumenta nossa atenção, ex: na meditação caminhando em casa, onde andamos devagar e ao mesmo tempo prestamos atenção em nossa respiração, você começa a experimentar a atenção consciente ou  a Plena Atenção.  



Vamos nesta semana desacelerar nossa mente, através da respiração mais lenta, e dos movimentos do corpo, quando você tiver tempo faça tudo mais devagar...  que de costume, respire mais lentamente.

Sintam a mente desacelerando, pois ela reflete a ação física, quando nós respiramos ou nos movemos assim,  os pensamentos desaceleram também pois a mente também é o reflexo do corpo, como o corpo é o reflexo da mente,  a ansiedade diminui  e assim o stress do dia-a-dia também,   isso nos afasta da influência do inconsciente, ou das sementes negativas de nossa consciência mental, nos ajuda a vermos as coisas-do-jeito-que são, como já foi abordado em edições passadas, essa atitude mental gera boas emoções fazendo fluir a energia vital.     


Exprimente isso:    


Feche os olhos e imagine que sua respiração são seus pés e você caminha lentamente e em paz, agora abra os olhos e continue imaginando e respirando assim.



Tentem  manter sua respiração assim no dia-a-dia e veja como se sentem. 

                                                                             

Felicidade a todos,                    

                                                                                         
                                                                                         

                                                                                           
                                                                                       NAMASTÊ   
                                                                                                                                                                                              
                                   
 


 
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário