Quem sou eu

Minha foto
O meu inicio na meditação se deu através de um livro do monge zen budista, Thich Nath Han - Para Viver em Paz-Editora Vozes, Thich Nhat Han já foi indicado ao Premio Nobel da Paz, ele é minha grande fonte de inspiração para as praticas meditativas. Meu foco são as meditações dinâmicas que podem ser aplicadas na vida cotidiana por isso são descritos vários tipos de práticas. As práticas meditativas transformaram minha vida e hoje sou mais centrado e feliz, consegui também frear e diminuir muito meus pensamentos. Praticante há muitos anos de práticas meditativas, através da Sociedade Budista do Brasil tive contato com monges de outros países onde pude desenvolver mais a minhas práticas. Participei em 2004 de um retiro de meditação com monges do Monastério do Thich Nhat Han. Em 2013 me tornei professor de meditação. As praticas meditativas devem ser incluídas paulatinamente em nossa vida diária como estilo de vida, a Plena Atenção ensinada por Buda pode ser vivenciada em qualquer lugar ou situação.

sexta-feira, 24 de junho de 2016

MOMENTO ZEN 28ª EDIÇÃO

24/06/2016
Editor: Mario Nigri Iampolschi
momento.zen.mario@hotmail.com 

____________________________________________________ 


Caros amigos leitores, é um prazer estarmos juntos nessa edição, vamos continuar a nossa jornada rumo a evolução.


mindfulness

ONDE ESTÁ A FELICIDADE ?

Em 2012 participei de uma palestra no Hotel Gloria no Rio de Janeiro de dois monges do monastério do Mestre Thich Nhat Han localizado na Califórnia,  um dos monges começou falando:

"vocês não são felizes por que não sabem viver o momento presente!".  

Ele disse que quando bebemos uma xícara de café, não devemos " engolir o café", devemos sentir o seu aroma, beber bem devagar, sentindo  o seu sabor, assim é como devemos viver a vida.

O segredo da felicidade é vivermos em plena atenção com a vida, que só é possível no momento presente, com atenção gentil, sem julgamentos, aceitando a vida como ela é, com suas flores e espinhos, o adubo também ajuda a flor a crescer assim como o Sol.

A vida é um presente de Deus, temos que respeitá-la como algo divino e eterno, pois, ela continua através de nossa Alma Imortal.

Buda viveu muitas  vidas antes de se iluminar, ele foi evoluindo vida a vida. 

Buda nos deixou  um verdadeiro tesouro,  a Plena Atenção, ou como hoje também é conhecida como Mindfulness, aplicada em programas de saúde em hospitais como tratamento auxiliar de doenças físicas e mentais.

Nosso corpo físico sempre está no momento presente, a prática meditativa consiste em sentirmos esse corpo físico, suas sensações, nos conscientizarmos também dos movimentos de nosso corpo físico, incluindo nossa respiração.

Comecem agora sua alquimia interior, o que quer que façam, o façam de forma consciente, desliguem o piloto automático do corpo, isso é Plena Atenção.  

O segredo para a Plena Atenção é lembrança, quando estiverem se movendo durante o dia, lembrem-se de prestar atenção aos movimentos do corpo, quando não estiverem em movimento prestem atenção a respiração, façam tudo de forma consciente, não mais da forma habitual robotizada em que nos acostumamos  a estar.

Trazemos de volta ao corpo a nossa consciência mental,  uma âncora que nos traz de volta ao único momento que podemos ser felizes, o Momento Presente.

O Momento Presente é um verdadeiro presente da vida que devemos aproveitar.

Onde está a felicidade ?   só existe felicidade no momento presente, o passado já passou, futuro ainda não existe agora. 


Buda nos deixou uma prática simples e eficiente, a Plena Atenção, quando estamos em Plena Atenção naturalmente nossa mente desacelera devido a divisão de energia . 

A fórmula é simples, a Plena Atenção divide literalmente nossa atenção da mente e a energia que usamos para pensar, esse é um dos segredos da meditação.

Energia da atenção aos pensamentos X Energia da atenção ao corpo        

Mindfulness é um movimento relativamente moderno relacionado a Plena Atenção.

Mindfulness é uma atenção ligada a outra e assim sucessivamente em pequenos momentos presentes, momento a momento.

Mindfulness é como começarmos a seguir o momento presente para ver onde ele nos leva, normalmente não seguimos o momento presente mas sim as expectativas do futuro  ou as mazelas ou lixo mental do passado.

Temos que partir de uma primeira atenção,  façam essa experiencia: comecem a colocar atenção na inspiração, depois liguem a atenção da inspiração na expiração, e assim sucessivamente, tentem fazer esse execício por 1 minuto no incio da prática. 

Agora entrem em atenção plena ao ler esse artigo, esse é um momento, depois, liguem esse pequeno momento ao próximo momento olhando profundamente para o que quer que estejam fazendo no próximo momento, depois liguem o segundo momento ao terceiro, e veja as boas surpresas começarem a aparecer pois o momento presente é mágico quando estamos em mindfulness.   

O DÍNAMO DA CONSCIÊNCIA

Um exemplo muito  didático de como gerarmos consciência através do corpo, é o do dínamo que ligado ao pneu da bicicleta de forma mecânica gera energia elétrica para o farol da bicicleta, a Plena Atenção ao corpo gera Consciência, como um farol que nos ajuda a enxergar o momento presente.


NOSSO CENTRO

O centro do ser humano é sua consciência, Buda já ensinava isso, a consciência é que deve comandar nossa personalidade.

Mindfulness é Plena Atenção, Atenção portanto é o caminho para a consciência, nosso centro é nossa ilha interior, onde reside nosso Eu Superior o nosso mais elevado estado de consciência.

A Atenção é um alimento primordial para nossa consciência, a atenção vai nos mantendo no momento presente, nos ajuda a nos mantermos em nosso centro, a distração pode perigosamente nos ligar ao mundo astral menos evoluído.

Quando acordamos e nos sentimos em paz, felizes, esse é o nosso centro, quando saímos de casa somos interferidos pelo mundo exterior essa é nossa personalidade.

Para nos mantermos em nosso centro devemos nos afastar das interferências do mundo externo, mas como não podemos nos afastar fisicamente esse afastamento deve ser mental, por meio da consciência em mindfulness, essa consciência é a nossa proteção.  



BÚSSOLA INTERIOR

Existe em todos nós um Ser Interior mais elevado do que nossa personalidade, uma Presença Superior, que cada civilização expressa de forma diferente com nomes diferentes, Eu Superior, Divina Presença, Buda Interno, Eu Crístico, etc.  

Essa Presença não é algo externo a nós.

Quando ouvimos aquela voz inspiradora em momentos muito difíceis que nos acolhe, essa é nossa presença, nosso Eu Superior nos falando.

Para diferenciar a voz do Eu Superior da voz da personalidade, é  simples, essa voz possui o Amor, a Ética, a Palavra Correta e dócil, sempre positiva, a mesma voz que Buda, Jesus e de outros grandes mestres da humanidades acessavam quando estiveram no planeta terra.

O Eu Superior se comunica não só através da voz interior, mas, através das sensações, dá para saber se estamos seguindo nosso Eu Superior ou nossa personalidade, quando nos sentimos mal em determinada situação é o nosso Eu Superior emitindo uma sensação negativa para nos mostrar que não estamos no caminho correto.

A chave da felicidade é seguirmos nosso Eu Superior sempre, e as práticas meditativas são um a das formas de acesso ao nosso Eu Superior.

As vezes damos mais ouvidos a nossa mente inferior que a nossa consciência, algumas dessas vozes são nossos Aliados Obscuros como medo, raiva, preocupação, temos de estar atentos a quem estamos seguindo...  

Sempre tentar ouvir nosso Eu Superior é um escudo de proteção invisível poderoso, para que possamos viver Felizes em Paz.

click abaixo e saiba mais sobre o Eu Superior
   


OBSTÁCULO OCULTO

Em uma visão budista do Inconsciente, existe em nós a Consciência Armazém onde existem todos tipos de sementes de nossas experiencias de vidas  desde as vidas passadas a atual.

Essas sementes se manifestam sem nosso consentimento, portanto dirigem nossa vida, não temos controle sobre elas.

A semente do Medo sobe a nossa consciência  mental e nos influencia, mesmo sem sabermos porquê ele está em nós, um inimigo oculto que pode nos prejudicar e minar nossa felicidade.

A boa noticia é que quanto mais conscientes estivermos, menos seremos influenciados, pois enquanto cultivamos as sementes da Plena Atenção, não estaremos regando as sementes do medo por exemplo.

Viver em Plena Atenção, não só traz felicidade, como também diminuí nosso sofrimento.

No templo da Sociedade Budista do Brasil conheci o monge Dom que me ensinou, ele me disse: "esteja conscientizado em tudo que estiver fazendo como se fosse sua tábua de salvação". 

click abaixo e saiba mais sobre o Inconsciente
http://momentozenmario.blogspot.com.br/2012/01/momento-zen-6-edicao-0192009.html




LIMPEZA ASTRAL

O mundo astral interfere diretamente em nossa energia no momento presente, assim como tomamos banho, escovamos os dentes, diariamente temos que nos limpar energeticamente, abaixo um exercício que pode ser feito em qualquer ambiente. 

Exercício para purificar a mente: 

Inspirando, o praticante deve visualizar que inspira uma nuvem branca que passa pela sua mente,  ao expirar o praticante deve visualizar o ar escuro que vai do preto ao cinza de acordo com a emoção, se a emoção é forte a cor será preta, a medida que o praticante vai inspirando o ar purificado  branco e expirando o ar escuro e poluído, o ar da expiração vai se clareando, até que em algum tempo  ele se torna branco da cor do ar inspirado como uma nuvem, agora pode espalhar essa nuvem branca ao seu ambiente beneficiando assim a todas as pessoas, então a limpeza foi efetuada e o seu ambiente foi limpo.


A mente positiva faz parte da nossa prática e é conquistada quando abandonamos os pensamentos induzidos pela nossa mente inferior quando ela lança mão dos Aliados Obscuros e seguimos nosso Eu Superior como o nosso Senhor pois " não podemos seguir a dois senhores ao mesmo tempo".



SIMPLES RECONHECIMENTO


Thich Nhath Han ensina que devemos reconhecer todos estados mentais e as sensações  quando se apresentarem em nossa mente.

O não julgamento dos estados mentais é essencial para sobrevivermos na prática.

Os estados mentais não somos nós de forma plena, são estados passageiros de nossa personalidade.

Quando uma sensação desagradável surgir:

- Inspirando, sei que uma sensação desagradável está em mim.
- Expirando sorrio para essa sensação desagradável.

O mesmo reconhecimento para os estados mentais como medo, insegurança, caso eles continuem:

- Inspirando, sei que o medo continua em mim.
- Expirando sorrio para o meu medo.

Em relação a prática Thich Nhat Han ensina que quando estivermos com a mente dispersa e distraídos podemos reconhecer sem nos julgarmos pois a mente dispersa também faz parte de nosso prática:

- Inspirando sei que minha mente está dispersa.
- Expirando sorrio para minha mente dispersa.

Se a mente continuar com a mente dispersa:

- Inspirando, sei que minha mente continua dispersa.
- Expirando sorrio para minha mente dispersa.

Dessa forma, aceitamos os estados mentais e sensações sem desejo nem apego.

Se reconhecermos que não somos nossos estados mentais gerados pela nossa personalidade que é o nosso Eu Inferior, chegaremos a conclusão que nossa verdadeira essência é o nosso Eu Superior, e assim não ficaremos presos ao sofrimento.  




O medo da felicidade ocorre quando está tudo bem em nossas vidas e vem um pensamento como, "até quando posso sustentar essa felicidade" ?

É claro que a felicidade é impermanente como tudo na vida, mas existe um segredo para sermos mais felizes, esse segredo é descrito no caminho do discípulo, o verdadeiro discípulo nunca desiste do caminho, e quando ele cai, ele tenta se levantar o mais rápido possível, ele tem convicção que o caminho é bom para ele, ele utiliza uma fórmula simples: se cair 100 vezes ele levanta 101 vezes.

O momento Zen é repleto de ensinamentos que podemos seguir para sermos mais felizes.



Para vivermos sem medo de sermos felizes, temos de ter coragem para vivermos o momento presente, o medo do que aconteceu no passado e o que pode acontecer no futuro, nos impede de sermos felizes.

O medo do futuro que nos tira do momento presente, é  irracional e improdutivo, visto que  a única forma de melhoramos nosso futuro é começarmos a construí-lo no momento presente, isso é pura lógica.  

O significado da palavra coragem é agir com o coração,  isso ameniza um pouco o nosso medo.



Felicidade é uma magia da mente, nossa posição mental diante da vida indica o nível de felicidade iremos experimentar, isso é real, não tentem entender nem racionalizar, experimentem por si mesmos.

Vejam o exemplo de pessoas felizes que vivem com muito pouco e de pessoas que vivem com todo o conforto material e são infelizes, é logico que se pudermos ter o conforto material e a felicidade juntos, será mais agradável, porem homens como Buda e Jesus viveram uma felicidade sem nenhum bem material, e alcançaram o mais alto grau de felicidade onde homem comum nenhum alcançou.



Thich Nhat Han ensina que o caminho da Plena Atenção ou da Mente Alerta deve ser leve e agradável e  nos trazer felicidade, não uma tensão, mas, um relaxamento físico e mental, caso contrário não está sendo vivenciado de forma correta.

As práticas meditativas são uma das formas vistas no Momento Zen que podem nos trazer felicidade e paz.

Nossa mente inferior  naturalmente dá mais ênfase ao que está ruim em nossa vida, Thich Nhat Han nos orienta a refletirmos sobre o que está bom em nossa vida, quando pensamos nas coisas boas então nossa mente é dirigida para essas coisas e podemos nos afastar um pouco de nossas mazelas, e pensamentos  que nos impedem de viver o momento presente.

Uma prática simples é quando estivermos com a mente negativa, pararmos,  respirarmos fundo e sorrimos para a vida, acessamos a felicidade que é um estado mental, em qualquer situação façam essa tomada de consciência, façam do momento presente um momento agradável e feliz, lembrem-se o que o nosso mundo é o reflexo de nossa mente.



 

O verdadeiro segredo da felicidade e retornar a ela sempre, visto que a felicidade é um ciclo da vida, ela não é contínua nem permanente, Buda nos ensinou a Lei da Impermanência. 

Alguns praticantes abandonam a prática quando aparecem os obstáculos, mas, a própria prática é o remédio para as provas da vida, pois as provas virão sempre estejamos ou não na pratica da Plena Atenção, abandonar a Plena Atenção é como pegarmos uma panela quente sem luvas.



Resultado de imagem para trapezista

A vida é feita de altos e baixos, a Plena Atenção é a rede de proteção para a nossa felicidade, sempre que cairmos seremos aparados pela Plena Atenção e poderemos subir de novo, nunca desistam da felicidade. 


Deixo aos amigos leitores uma proposta de vida nova:

Esqueçam o passado e o futuro, isso é loucura.

O presente é tudo que há no momento.

Comecem a seguir o momento presente com Plena Atenção,
 momento a momento, 
  as 
maravilhas da vida vos serão reveladas.




Deixe abaixo seu comentário ou sugestão
sua opinião é muito importante para esse blog.

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

MOMENTO ZEN 27ª EDIÇÃO

03/02/2016
Editor: Mario Nigri Iampolschi
momento.zen.mario@hotmail.com 
_______________________________________________________________

Caros amigos leitores, é um prazer poder escrever para vocês de novo, essa edição é dedicada ao mestre Thich Nhat Han, que é minha fonte inspiradora das praticas meditativas. 



O PODER DA MENTE ALERTA


Autor: Mario Nigri Iampolschi 

A atriz Odete Lara foi divulgadora e tradutora dos livros do mestre Thich Nhat Han no Brasil, ela escreveu que estava em Plum Village no retiro do mestre na França, e tinha dificuldades de subir uma trilha pela montanha, um dia Thich Nhat Han foi conduzir uma meditação caminhando, subindo a montanha, seus passos eram atentos e seu ritmo desacelerado, essa forma de caminhar a fez chegar ao topo da montanha sem esforço, esse ritmo fez sua mente desacelerar e a fez enxergar a linda paisagem ao seu redor.

A mente desacelerada gera uma consciência mais ampla do momento presente, é um bom remédio para a ansiedade e o stress.

Thich Nhat Han ensina que a prática não deve ser uma labuta ou um esforço, mas sim um estilo de vida para que possamos viver a vida de forma mais prazerosa e feliz.  


A mente alerta é como as ondas do mar, ela nasce, cresce, morre, para depois nascer de novo, nunca poderemos ter a mente alerta 24 horas ao dia, só um Buda pode, mas se vivermos a mente alerta, como um estilo de vida, lembraremos sempre em voltar a vivência quando estivermos fora do caminho, ser é melhor do que ter , são inúmeros os benefícios gerados com esse estilo de vida. 




O SEGREDO DA MENTE ALERTA

A  mente não consegue pensar em duas coisas no mesmo instante, só de forma alternada, quando começamos a pensar em vivenciar a mente alerta, a mente começa a se ocupar  com esse assunto,  quando vivenciamos a mente alerta nosso ritmo mental desacelera, nesse momento ficamos mais focados no momento presente, e podemos assim viver a vida com mais plenitude e paz.




ATENÇÃO E PROTEÇÃO


A maior proteção que a mente alerta proporciona, ensina Thich Nhat Han, é que enquanto estamos vivendo de forma atenta, feliz e em paz, que são qualidades da mente alerta, nós estaremos naturalmente protegidos, a maior qualidade da mente alerta é a forma positiva de pensar e viver a vida, isso é possível,  segundo Thich Nhat han a felicidade é uma habilidade que pode ser treinada através das praticas meditativas. 

click abaixo e veja como somos influenciados pela nosso inconsciente
http://momentozenmario.blogspot.com.br/2012/01/momento-zen-6-edicao-0192009.html



INFLUÊNCIAS EXTERNAS

O problema do ser humano é ser comandado pela personalidade que é naturalmente infantil , nossa personalidade é composta de quatro corpos: físico,  energético, emocional e mental,  cada corpo se relaciona com os outros e os influência. 

A influencia em nossos corpos pode começar por exemplo quando alguém nos fala de forma agressiva, essa forma de falar gera em nós um pensamento de raiva em nosso corpo mental, ficamos remoendo essa raiva e não soltamos a raiva, então o corpo emocional é atingido, a raiva se transforma em uma emoção , essa emoção negativa passa a produzir toxinas em nosso corpo físico e pode se transformar em uma doença psicossomática, podemos nos sentir mal, nesse momento o nosso corpo energético já está prejudicado também. 


Os ambientes também nos influenciam de forma invisível, ambientes pesados possuem energias sutis que não enxergamos mas sentimos, por isso, nos sentimos mal em algumas ocasiões sem saber o motivo.

Somos diariamente interferidos pelo ambiente e pelas pessoas, essa interferência algumas vezes nos causam danos.

A proteção que podemos ter em relação a vida cotidiana é trazermos a consciência para comandar nossa personalidade, se estamos conscientes 
podemos através  da mente alerta sentir quando as interferências estão nos influenciando, e assim podemos tomar uma atitude mais positiva em relação as interferências através  das praticas meditativas e da sabedoria.



Não podemos evitar o primeiro pensamento negativo que vem em nossa mente seja por nossa fragilidade psicológica, seja por interferências externas, o fato é que não temos controle sobre nosso primeiro pensamento, mas, somos responsáveis em alimentar essas vozes, somos responsáveis em tornar esse primeiro pensamento em uma bola de neve descendo montanha abaixo, a atitude mais sábia é buscarmos dentro de nós a voz de nossa consciência que deve interromper essas vozes geralmente obscuras que nos assaltam, e conversar com essas vozes, a sabedoria e as virtudes devem nos guiar e não as vozes obscuras, devemos ser firmes com essas vozes como um pai que lida com uma criança.

Se estamos conscientes podemos acessar ao nosso Eu Superior que transcende nossa personalidade e nos dá acesso a nossa Essência Divina.

Thich Nhat Han ensina que a mente alerta trabalha em nós através da consciência cuidando não só de nosso corpo mental, mas também também dos outros três corpos: emocional, vital e físico.

Exercício para purificar a mente: 

Inspirando, o praticante deve visualizar que inspira o ar com a  cor branca que passa pela sua mente,  ao expirar o praticante deve visualizar o ar escuro que vai do preto ao cinza de acordo com a emoção, se a emoção é forte a cor será preta, a medida que o praticante vai inspirando o ar purificado  branco e expirando o ar escuro e poluído, o ar da expiração vai se clareando, até que em algum tempo  ele se torna branco da cor do ar inspirado, então a limpeza foi efetuada.

Essas praticas são de emergência, depois de ter acalmado a mente o praticante deve investigar qual a causa ou a raiz do sofrimento pois se entendemos como surgiu o sofrimento podemos nos cuidar melhor  para que ele não reapareça  de novo.

Thich Nhat Han é claro quando diz que nós somos muito maiores que nossas emoções, e que as emoções são passageiras, não devemos nos diminuir em relação as emoções negativas.

click abaixo e veja mais sobre os sete corpos em que habitamos
http://momentozenmario.blogspot.com.br/2012/12/momento-zen-18-edicao.html




COMO VIVENCIAR A MENTE ALERTA ?

A prática da  plena atenção que ensina Thich Nhat Han consiste em desacelerarmos nosso ritmo corporal e mental,  colocarmos nossa atenção em nossos movimentos corporais, nossa respiração, nossos sentidos,  nos unificando e desfrutando no que quer que estejamos fazendo no momento presente, fazermos tudo com calma, relaxadamente, pausadamente, estando presentes de corpo e alma.

Começamos a pratica com a simples desaceleração de nosso ritmo corporal, arrumamos a nossa vida organizando nossas atividades a fim de não precisarmos correr, isso é possível através da administração de nosso tempo, depois vamos incluindo na prática de desacelerar a prática plena atenção a respiração,movimentos do corpo e da mente, assim nossa mente desacelera naturalmente, nossa consciência aumenta e passa a comandar naturalmente a personalidade, então poderemos viver com mais qualidade de vida no momento presente.

click abaixo e veja mais sobre administração do tempo e desaceleração mental.
http://momentozenmario.blogspot.com.br/2013/06/momento-zen.html



O MILAGRE DA VIDA

O milagre da vida só pode ser visto se estivermos atentos ao momento presente, caso contrario perderemos todas as maravilhas que a natureza nos reserva, uma bela flor só pode ser bela para nós se nossa mente estiver presente para a flor, a vida só pode ser bela para nós se nossa mente estiver presente para a vida, a Mente Alerta é a nossa presença, podemos respirar e sorrir para a flor, podemos respirar e sorrir para a vida, experimentem essa prática de Mente Alerta.





O PRAZER DA VIDA VEM DA ATENÇÃO

Quando participei de uma palestra de dois monges do monastério da Califórnia do mestre Thich Nhat Han, um dos monges começou a palestra dizendo que nós não somos felizes muitas vezes por não sabermos como viver no momento presente, ele citou o café como exemplo, que devemos sentir o aroma do café e não engolir o cafe apressadamente, devemos saborear sem pressa, acho que o café que saboreamos é como a nossa vida. 

O prazer da vida é uma consequência de estarmos ou não no momento presente, como podemos ter prazer em nossa vida vida diária se estivermos com o pensamento voltado para fora do momento presente, quando a  vida só pode ser vivida no momento presente?



ACEITAR A VIDA AJUDA NA RECUPERAÇÃO DA DOR

Sofremos muito por não aceitarmos os obstáculos da vida, os obstáculos da vida fazem parte de nossa existência no reino humano, Buda disse que a dor é inevitável mas o sofrimento é opcional, significa que remoer a dor é sofrimento, por isso nosso mundo é mental, esse remoer nos traz mais sofrimento alem da dor. 

Dar um espaço através da nossa Plena Atenção para aceitarmos os obstáculos da vida, sem ficar remoendo os obstáculos, é um bom caminho para apaziguarmos nosso sofrimento.

A Mente Alerta trata também desse caminho, esse espaço é preenchido pelas praticas meditativas largamente estudadas no Momento Zen, quando o obstáculo vier nos o observamos com nossa respiração consciente ao invés de ficarmos o remoendo, o convidamos a subir do inconsciente até a nossa consciência mental, a Plena Atenção na respiração irá cuidar de nossa dor, como uma irma mais velha, com amor e carinho, porem, para podermos estar em vantagem nesse encontro da dor com a  nossa Plena Atenção, devemos cultivar a Plena Atenção  ao corpo e a mente, no dia-a-dia, junto com a pratica de vivermos o momento presente com prazer e felicidade. 

Meditação para aliviar a dor:

Primeiro mentalizem cada frase com o coração, depois inspirem e expirem de forma que cada inspiração e expiração possam trazer alivio e paz, passem quando se sentirem bem na primeira mentalização para as mentalizações seguinte, a ultima mentalização nos faz voltar ao caminho sempre que sairmos dele: 

- Inspirando sei que a dor esta presente em mim.

- Expirando trago a Plena Atenção para cuidar de minha dor.

- Inspirando trato com amor e carinho da minha dor.

- Expirando cuido de minha dor.

- Inspirando retorno ao momento presente.

- Expirando sei que esse é um momento maravilhoso.

Thich Nhat Han ensina que não devemos tratar mal a nossa dor, pois, a nossa dor é o sujeito e o objeto de nossa mente , portanto, nós somos a dor, quando ela se manifestar em nós podemos dizer:  - oi Dor, somos velhos conhecidos, então trazemos a respiração consciente e nossa plena atenção ao corpo para cuidar de nossa Dor, podemos imaginar a nossa dor e nossa plena atenção se cumprimentando:

- Inspirando trago minha plena atenção para acompanhar minha dor.

- Expirando cuido da minha dor com amor e carinho.





PLANTANDO A SEMENTE DA ATENÇÃO PLENA

Devemos diariamente regar a nossa semente de felicidade e Plena Atenção, segundo a psicologia budista existe em nós uma Consciência Armazém onde todas as sementes dessa e de vidas anteriores se encontram plantadas, as vezes a semente da raiva sobe a nossa consciência mental  sem pedir licença através de uma condição favorável e se manifesta em nós, se nós a alimentarmos com mais raiva, novas sementes de raiva serão plantadas em nossa Consciência Armazém, portanto se regarmos mais as sementes de felicidade, compreensão, sabedoria, as boas sementes serão plantadas em nós, nos ajudando em momentos difíceis de nossa vida.

Existe em nossa Consciência Armazém sementes em forma de sementes e sementes em forma de manifestação.

Click a baixo e saiba mais sobre a Consciência Armazém e as outras consciências presentes em nós:





RESPIRAÇÃO CONSCIENTE

A respiração consciente foi a prática principal que levou Buda a atingir sua Iluminação vamos fazer agora um pequeno exercício :

1º Sentem relaxadamente com a coluna ereta e fechem a boca sentindo o toque dos lábios, existe um contato, uma sensação.

2º Sintam que o ar só tem agora um lugar por onde entrar as narinas, sintam apenas a sensação do ar saindo e entrando, não modifiquem seu ritmo.

Procurem agora vivenciar esse exercício no dia-a-dia, na fila do banco, super mercado, no engarrafamento, etc.

Para vivermos o Momento Presente,precisamos de uma Presença em nós, a Respiração Consciente é um portal para o Momento Presente.     

click abaixo e vejam como relaxar corpo e mente
http://momentozenmario.blogspot.com.br/2013/04/momento-zen.html


Resultado de imagem para DESAUTOMATIZE-SE

DESAUTOMATIZE-SE  

A partir de agora procurem fazer as coisas de forma não automática, Buda ensina a plena atenção aos movimentos corporais, sintam os movimentos começando de dentro para fora, sintam a respiração fluindo de dentro para fora, a própria desaceleração dos movimentos garantem uma maior consciência no dia-a dia, e ao mesmo tempo diminuem a ansiedade e a angustia da vida acelerada que nos puxa para fora o tempo todo, a introspecção é um alimento da Alma, não devemos ficar fora de casa o dia todo, devemos cultivar nosso ser interior.

Existem outros Portais para acessarmos o Aqui e Agora o Momento Zen traz algumas formas e os amigos leitores podem criar suas próprias formas de viver o Momento Presente, porquê não agora?  foi assim que comecei a minha prática e que comecei a escrever o Momento Zen, inspirado nas práticas do mestre Thich Nhat Han.




DESACELERE E VIVA EM PAZ 


Estamos acostumados a correr muito e a vida vai passando sem nos darmos conta.   As pessoas, as situações, nossos medos, nossa ansiedade, todos são fatores que nos podem fazer acelerar, e nessa paranoia, podemos acelerar mesmo num domingo em que estamos com tempo livre, isso é loucura, isso é falta de respeito com a nossa vida, somos Humanos não somos máquinas, comecemos agora mesmo a colocar limites nessas questões que nos condicionam e nos fazem adoecer, sendo no físico ou no emocional.  

Façam da Desaceleração um Estilo de Vida Inteligente em que pode guiar nossa vida  e não sermos arrastados por pelo caos da vida moderna.


 Boa viagem a todos 

   ao mundo ainda pouco explorado 

 do    

AQUI E AGORA